Gamificação da sala de aula
08/29/2016
Minecraft em aula – Exemplos práticos!
09/13/2016
Show all

Programação na sala de aula

Não é necessário explicar o potencial de se aprender programação no século XXI. Estamos em uma era digital onde linhas de código regem nossas vidas. Em 1987, com a linguagem Logo, iniciou-se um dos primeiros esforços para se introduzir programação nas escolas. Com foco em exercícios gráficos, Logo permite que o aluno use códigos e conhecimento de geometria para construir imagens. Hoje há propostas muito mais robustas.
A ideia de ensinar programação na escola evoluiu. As estrategias atuais focam no engajamento com o conteúdo. Ao invés de propor que o aluno mova uma tartaruga pela tela, fazendo desenhos geométricos ou prismáticos, as novas soluções utilizam personagens de desenhos e jogos para ensinar conceitos similares.
As ferramentas disponíveis em code.org funcionam como uma introdução lúdica à arte da programação, para alunos de várias idades e níveis de habilidade. Há atividades no formato físico e digital. Ao todo são 4 cursos de 20 horas utilizando 8 ferramentas lúdicas. Todas as ferramentas no site são gratuitas e possuem versões em diversos idiomas, incluindo o português.
Para engajar o aluno com o conteúdo, as ferramentas são contextualizadas por meio de jogos populares como Minecraft e Flappy Bird. A conexão aos interesses dos alunos é feita para esses absorvam mais facilmente o conteúdo e se interessem por programação da mesma forma que se interessam por esses jogos.
Os conceitos trabalhados são bem exigentes e desafiam até mesmo aqueles que já tem alguma experiência com programação. Mas, com a ajuda dos vídeos e ferramentas disponíveis na plataforma code.org, as atividades são prazerosas e apresentam um resultado imediato para os esforços dos alunos, o que auxilia muito a aprendizagem.
Outra iniciativa para ensinar programação nas escolas vem da Lego. A empresa possui vários kits de robótica onde o aluno controla motores, sensores e ferramentas através de uma linguagem de programação visual e intuitiva.
Lego Mindstorm, o último kit lançado, possibilita ao aluno criar um robô tão avançado que pode identificar cores, temperatura, pressão, presença de objetos ao seu redor e até escutar. Isso sem falar dos motores para movimentos que controlam esteiras e pernas com múltiplas articulações;
A importância do ensino de programação para crianças já é comparável ao ensino de idiomas estrangeiros. Diversas escolas oferecem cursos extra curriculares para os alunos interessados em aprender programação e outras já fazem do ensino de programação uma matéria mandatória. Nesse cenário é sensato considerar a importância de iniciativas lúdicas, para não só ensinar programação, mas também despertar interesse pelo ato de programar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *